domingo, julho 16, 2006

QUEM NOS MONITORA II

Como funciona o Sistema Echelon:
Um memorando da Casa Branca em 16 de setembro de 1994, diz textualmente: “o fim da guerra fria modificou de forma dramática as prioridades e as ameaças para com a nossa segurança nacional. Além das questões políticas e militares tradicionais, os assuntos econômicos suscitam entre nós uma preocupação e um interesse crescente.” Durante anos a NSA consegui trabalhar sigilosamente sem que nada de importante filtrasse na imprensa e nos círculos políticos internacionais.
Só após longas e discretas pesquisas, feitas por uma comissão do parlamento europeu – o Scientific and Technological Assessment (STOA)- presidida pelo francês Alain Pompidou, sobre a NSA, a comissão conseguiu apresentar em 06 de janeiro de 1998, um relatório oficial a respeito da espionagem norte-americana. Na Europa, afirma o documento, todas as chamadas telefônicas, os fax e os textos transmitidos por correio eletrônico (e-mails) são regularmente interceptadas e as informações de certo interesse retransmitidas pelo centro estratégico britânico de Menwith Hill para o quartel general da NSA. O que deixou atônitos os deputados europeus.


O controle sobre o Brasil:
O sistema utilizado pelos Estados Unidos dispõe de cinco bases terrestres a partir das quais são interceptadas as comunicações telefônicas internacionais que passam pelos 25 satélites Intelsat. Com exceção do Canadá, cada país do Pacto de Ukusa está encarregado de cobrir uma zona determinada do planeta. A base que controla a totalidade do tráfico europeu está situada na Grã-bretanha a cem quilômetros de Exeter. As comunicações do continente americano, inclusive do Brasil, são vigiadas a partir de Segar Grove, a 250 km de Washington. As regiões do Pacifico e oceano Índico, por sua vez, dependem de três bases terrestres: uma no polígono do Exército norte-americano em Yakima, a 200 e tantos quilômetros de Seattle, outra em Waihopai (Nova Zelândia) e a terceira em Geraldton (Austrália).
Para decifrar as informações transmitidas pelos 25 satélites, computadores extremamente poderosos e de ultimíssima geração, chamados “dicionários” são capazes de absorver, examinar e filtrar enormes quantidades de mensagens numéricas e analógicas, retirar o conteúdo palavras-chave programadas e mandar automaticamente os resultados das análises ao QG da NSA. Uma ou duas vezes por semana os responsáveis pelos “dicionários” fazem a devida checagem retirando ou incluindo palavras de acordo e em função de temas políticos, diplomáticos e econômicos que interessam em determinados momentos aos Estados Unidos.



.

7 comentários:

Anônimo disse...

Xico, realmente tú tens razão, fui atrás da informação e realmente estes merdas destes gringos, são mesmo bisbilhoteiros.
Maury

Anônimo disse...

É o grande irmão deixou de ser sonho, ele está à nos espreitar, e o pior é que não podemos fazer nada.
Ed. souza

Anônimo disse...

Não devemos nos preocupar, acredito que quem não deve não teme, se por um lado isto quebra o sigilo pessoal, por outro lado ajuda a combater o crime.
Nelma

Anônimo disse...

Em nome da segurança dos yanques, temos que ter nossas vidas vasculhadas, é um absurdo.

Neto

Anônimo disse...

A vida da televisão é retratada conforme a realidade, não foi a toa que o BBB foi ao ar.
Michel

Anônimo disse...

Besteira...
Não existe pecado do lado de baixo do Equador, então, porquê tanta preocupação?! Vcs comunistas inventam cada história...
Só te digo continua com essa fobia aos ianques, que tu vais te dar bem, pra caramba...

mystic disse...

Vim ler o teu post sobre o BB americano, apesar de toda a tecnologia envolvida são milhões de chamadas telefonicas, faxes, emails, serviços de mensagens e parece-me ser impossivel um controlo apertado ao comum mortal. Nas altas esferas políticas acredito k a espionagem esteja ao mais alto nível mas espero que seja para a segurança dos países contra o terrorismo.