terça-feira, julho 31, 2007

PRÍNCIPE.

No dia 31 de julho de 1944 (em plena guerra), desaparecia de nosso meio, Antoine Saint-Exupéry, Piloto de profissão, escritor por devoção, nos deixou como legado "O Pequeno Príncipe", um convite a reflexão, pára que as pessoas se humanizem, se cativem e se percebam.
Ele foi derrubado por um piloto alemão. Seu avião jamais foi encontrado.
Alguém disse que o piloto Alemão que derrubou Exupéry tinha uma cópia de "O Pequeno Príncipe" em sua casa.

Numa carta encontrada na sala de Antoine depois que seu avião desapareceu, ele tinha escrito o seguinte:

"Eu não me preocupo se eu morrer na guerra (...) Mas se eu voltar vivo
desse 'trabalho' ingrato, mas necessário, haverá apenas uma questão
para mim: O que dizer da humanidade? O que dizer para a humanidade?"


"ACASO"

"Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, pois cada pessoa é única
e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada.
Essa é a maior responsabilidade de nossa vida,
e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso. "

(Antoine de Saint-Exupéry)

segunda-feira, julho 30, 2007

MÁRIO QUINTANA.

Minha pequena homenagem à esse imortal, que completaria hoje 101 anos.
Um pequeno escrito dessa grande figura:

Bilhete
Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...

VIVA EM PAZ!

Para uma pequena reflexão:


Sonhe !

Mas não deseje ser quem você não é.
Isso é pesadelo

Almeje !

Mas não queira uma vida igual a de outrem.
Isso é morte.

Imagine !

Mas não fantasie com o que não pode ter.
Isso é loucura.

Dispute !

Mas não tente vencer o invencível.
Isso é suicídio.

Fale !

Mas não apenas de si próprio.
Isso é egoísmo.

Apareça !

Mas não se mostre com orgulho.
Isso é exibicionismo.

Admire !

Mas não se machuque com inveja.
Isso é falta de auto-estima.

Avalie !

Mas não se coloque como modelo de conduta.
Isso é egocentrismo.

Alegre-se !

Mas não em exagero e com alarde.
Isso é desequilíbrio.

Elogie !

Mas não se desmanche em bajulações.
Isso é hipocrisia.

Observe !

Mas não faça julgamentos.
Isso é baixa auto-crítica.

Chore !

Mas não se declare um ser infeliz.
Isso é auto-piedade.

Importe-se !

Mas não cuide da vida do próximo.
Isso é abandonar a própria vida.

Ande !

Mas não atravesse o caminho alheio.
Isso é invasão.

V I V A !

Feliz com o que pode ter.
Feliz com o que pode ser.
Isso é PAZ !

sábado, julho 28, 2007

LUTO!

No sábado passado estive no Café Portela do nosso amigo Flávio, tradicional reduto do amigo Duda Bueres, e como não podia deixar de acontecer, lá eu o encontrei, só que o nobre amigo estava inconsolável, me fez quebrar uma jura de que eu não beberia mais, tudo porque o amigo estava sentindo tremendamente a passagem do "Toninho Malvadeza"!.
Quebrei minha jura, enchi a lata, fui solidário a dor do meu amigo que vestia um luto muito apropriado para o momento.

sexta-feira, julho 27, 2007

ÉGUA, MAIS ASSIM!!!!!!!

Existem coisas que só mesmo o Brasil pode proporcionar, e em especial quando a coisa vem do campo da politica.
Quando estou entre amigos , tomando umas e outras, radicalizo em meus discursos as questões da ética e da moral, sou taxado de chato, radical, retrógrado, e uns até chegam evocar Fidel como um como um azoinado senhor, para tentar defender principios moderno (embora imorais) da nova ordem mundial.
Pois bem, estes defensores de uma moral que eu considero imoral, carregam em suas mãos e em seus discursos, todo um pseudo posicionamento de mudanças, que hoje só poderão ser implementadas pelas vias da modernidade capitalista, uma meia dúziazinha de "companheiros" que maravilhados com o progresso e com a evolução da revolução indústrial, não seriam mais capazes de existirem sem seus celulares, sem seus veiculos, e sem tantos outros bens supérfluos, que por força da midia, tornaram-se vital para os mesmos.
O preâmbulo tem por finalidade desmistificar a posição salvadora do Partido dos Trabalhadores (é claro, como diria o amigo Bueres, que não descobri a pólvora)
que por muito tempo defendeu uma moral e uma ética que não era deles, senão vejamos:
O ministro da Cultura (quem muito admiro como artista) deixou bem claro quando foi convidado para o cargo, que não seria capaz de fazer votos de pobreza com um salário de R$ 8.000,00 reais, (sei que o mesmo não pertence ao PT, mas...).
Os cercanos do Presidente fizeram o que fizeram, com grana pública.
E agora o Pará leva seu golpe de redenção, nossa governadora afirma em entrevista que o salário dela não dá para comprar "tudo", e que o Estado tem sim que bancar suas despesas, porque o fazia com seus antecessores, o pior é que ela quer aparecer bonita (aí mano tá foda eu pagar para tentarem transforma-la em cinderela, aliás missão impossível).

Parte entrevista da Governadora ao G1
Após ter nomeado “por erro administrativo” a cabeleireira como assessora, a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), afirmou que suas necessidades pessoais continuarão a ser pagas pelo estado, uma vez que, segundo ela, é direito de todo chefe do Executivo. E de acordo com a governadora, seu salário não seria suficiente se tivesse de pagar por todos os serviços dos quais necessita. (ela esquece que ela é servidora pública, se não dá procura outro emprego)

“Quem pagava o barbeiro do ex-governador? Quem pagava a cabeleireira da ex-vice-governadora?
A diferença é que nós queremos fazer de forma transparente. Fizemos consulta ao Tribunal de Contas do Estado, e a lei diz que o estado é responsável por serviços de caráter pessoal do chefe do Executivo. Meu médico quem trata é o estado, meu tratamento, a casa onde moro... É natural. E todos os chefes de Executivo do Brasil têm. Eu tenho de governar o estado adequadamente preparada. Imagine se eu for, com o meu salário, comprar tudo?”, diz a petista, que ganha salário bruto de cerca de R$ 12 mil. (ela também não consegue fazer votos de pobreza com R$12.000,00 reais, e quer comprar tudo)
[O G1 consultou o Tribunal de Contas do Estado (TCE) para saber se a governadora pode pagar os serviços pessoais, como os de beleza, com dinheiro público. A assessoria de imprensa informou que o governo fez uma consulta sobre o tema, mas que ainda não há decisão final.
Ao comentar as acusações feitas pela oposição de que cometia nepotismo em seu governo por empregar um irmão e um ex-marido, a governadora destacou que grande parte das críticas são decorrência de que ela é “mulher e de esquerda”.
G1 - Uma questão que provocou polêmica foi a nomeação de uma cabeleireira e de uma esteticista para o seu governo. O que aconteceu?
Ana Júlia - Não gerou polêmica. Foi um erro administrativo, reconhecido, corrigido, um equívoco. Foram nomeadas por orientação da Casa Militar. Havíamos solicitado que fossem exoneradas, demorou três semanas, mas elas não receberam um centavo. A forma de contratação foi equivocada.
G1 - A sra. mora numa casa alugada, embora exista uma residência oficial. A sra. teve de reformar a residência oficial?
Ana Júlia - Não foi reformada. Ela (a residência oficial) precisaria de muita reforma. E eu, como governadora, tenho direito de morar onde eu quiser, e o estado tem de garantir condições para que eu more. Eu não tenho casa. Eu pagava aluguel até dois meses atrás. Tive que vender um apartamento em 2005 para cumprir compromissos passados. O estado paga uma casa num condomínio, não tem nada de anormal.(ela só não diz que a casa é do bacana dela).
A Entrevista está no site: http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL73332-5601,00.html
É bom conferir.

MAIOR DO MUNDO!




Em atenção ao meu amigo Antonio (Dispersamente), aqui faço uma postagem
com pormenores sobre o maior cajueiro do mundo.

Imagine uma árvore centenária, que cresceu sem eira nem beira enquanto a estrada construída pelo 'bicho' homem não chegava. Hoje, apesar de continuar crescendo, está limitado em uma área de 8,4 mil metros quadrados.
O segredo do tamanho de sua copa são os galhos que aterrissam e voltar a arremeter: dezenas de 'tentáculos' com uma única origem. Os mais velhos falam sobre o tamanho do cajueiro com um certo ar de misticismo, parte dos cientistas acreditam em anomalia genética, outros defendem a tese que uma série de fatores favoráveis — solo + sol + espaço — proporcionaram seu desenvolvimento naturalmente. O fato é que é realmente uma só árvore!
O maior cajueiro do mundo está localizado no distrito de Pirangi do Norte, município de Parnamirim-RN. A árvore cobre uma área de aproximadamente 7500 m2, com um perímetro de aproximadamente 500 m. O maior cajueiro do mundo foi plantado em 1888, por um pescador chamado Luiz Inácio de Oliveira; o pescador morreu, com 93 anos de idade, sob as sombras do cajueiro.
O crescimento da árvore é explicado pela conjunção de duas anomalias genéticas.
Primeiro, em vez de crescer para cima, os galhos da árvore crescem para os lados; com o tempo, por causa do próprio peso, os galhos tendem a se curvar para baixo, até alcançar o solo. Observa-se, então, a segunda anomalia: ao tocar o solo, os galhos começam a criar raízes, e daí passam a crescer novamente, como se fossem troncos de uma outra árvore.
A repetição desse processo causa a impressão de que existem vários cajueiros, mas na realidade trata-se de uma única árvore. Pequena correção: existem, de fato, dois cajueiros no parque. O maior, cajueiro Pirangi que sofre da mencionada anomalia, cobre aproximadamente 95% da área do parque; existe também um outro cajueiro, plantado alguns poucos anos antes, que não sofre da anomalia.
A Natureza parece tê-los colocado lado a lado, para que pudéssemos compará-los. A foto acima mostra o tronco principal do cajueiro gigante. O tronco principal divide-se em cinco galhos; quatro desses galhos sofreram a alteração genética, e criaram raízes e troncos que deram origem ao gigantismo da árvore.
Apenas um dos galhos teve comportamento normal, e parou de crescer após alcançar o solo; os habitantes do local apelidaram esse galho de "Salário Mínimo". Durante o período da safra, os cajueiros produzem cerca de oitenta mil frutos; os cajus são colhidos pelos visitantes.
Para adentrar o parque, cobra-se uma entrada de R$2,00, que são utilizados para investimentos na infra-estrutura do local. A visita é conduzida por guias que explicam as características da árvore (há guias que falam inglês e espanhol). Dentro do parque, há um mirante com aproximadamente 6 metros de altura, de onde se tem uma vista da copa da árvore e das praias das redondezas.
Fora do parque, há diversos quiosques vendendo água, lanches e lembranças.
O site http://www.imagensviagens.com/br5_natal.htm, possui muitas informações sobre Natal, e sobre o cajueiro.


quinta-feira, julho 26, 2007

RIR OU CHORAR?

Sinceramente não sei o que fazer diante da noticia, e não pela quantidade de objetos que a pobre mulher introduziu na sua genitália, considerando-se que a tecnólogia miniaturizou quase tudo hoje em dia, mas pelo risco que a mesma sabia correr, e ainda assim se arriscou.

segunda-feira, julho 23, 2007

MAIOR DO MUNDO


Navegando pela blog do meu amigo Antonio (Dispersamente), fui inspirado a postar imagens do maior cajueiro do mundo, que está no Rio Grande do Norte, uma verdadeira maravilha da natureza.

segunda-feira, julho 16, 2007

sábado, julho 14, 2007

SOU EU

Cidade vazia, ouvi Paco Bandeira, tomei vinho, ouvi Joan Baez, Victor Jara, viajei pela música latina, fui ler Álvaro de Campos, me encontro, me confundo, me animo, vem desânimo, penso nos amigos, que seria de mim sem eles... Sei lá, é a vida e é bom viver e até sobreviver.
Aí ninguém melhor que Álvaro para me descrever:

Sou Eu

Sou eu, eu mesmo, tal qual resultei de tudo,
Espécie de acessório ou sobressalente próprio,
Arredores irregulares da minha emoção sincera,
Sou eu aqui em mim, sou eu.

Quanto fui, quanto não fui, tudo isso sou.
Quanto quis, quanto não quis, tudo isso me forma.
Quanto amei ou deixei de amar é a mesma saudade em mim.

E, ao mesmo tempo, a impressão, um pouco inconseqüente,
Como de um sonho formado sobre realidades mistas,
De me ter deixado, a mim, num banco de carro elétrico,
Para ser encontrado pelo acaso de quem se lhe ir sentar em cima.

E, ao mesmo tempo, a impressão, um pouco longínqua,
Como de um sonho que se quer lembrar na penumbra a que se acorda,
De haver melhor em mim do que eu.

Sim, ao mesmo tempo, a impressão, um pouco dolorosa,
Como de um acordar sem sonhos para um dia de muitos credores,
De haver falhado tudo como tropeçar no capacho,
De haver embrulhado tudo como a mala sem as escovas,
De haver substituído qualquer coisa a mim algures na vida.

Baste! É a impressão um tanto ou quanto metafísica,
Como o sol pela última vez sobre a janela da casa a abandonar,
De que mais vale ser criança que querer compreender o mundo —
A impressão de pão com manteiga e brinquedos
De um grande sossego sem Jardins de Prosérpina,
De uma boa-vontade para com a vida encostada de testa à janela,
Num ver chover com som lá fora
E não as lágrimas mortas de custar a engolir.

Baste, sim baste! Sou eu mesmo, o trocado,
O emissário sem carta nem credenciais,
O palhaço sem riso, o bobo com o grande fato de outro,
A quem tinem as campainhas da cabeça
Como chocalhos pequenos de uma servidão em cima.

Sou eu mesmo, a charada sincopada
Que ninguém da roda decifra nos serões de província.

Sou eu mesmo, que remédio! ...


REALIDADE.

O presente do meu amigo de além - mar, levou-me a ingerir umas taças de vinho, divago por poesias e músicas, como comecei por esse alentejano, sou catapultado até uma figura que eu curto pacas, talvez por ele me retratar de uma forma tão fiel em seus poemas, que chega a me assustar, gosto dele mais como Álvaro de Campos, até mais que como ele próprio. O vazio da cidade me lembra este poema:

Realidade

Sim, passava aqui frequentemente há vinte anos...
Nada está mudado — ou, pelo menos, não dou por isto —
Nesta localidade da cidade ...

Há vinte anos!...
O que eu era então! Ora, era outro...
Há vinte anos, e as casas não sabem de nada...

Vinte anos inúteis (e sei lá se o foram!
Sei eu o que é útil ou inútil?)...
Vinte anos perdidos (mas o que seria ganhá-los?)

Tento reconstruir na minha imaginação
Quem eu era e como era quando por aqui passava
Há vinte anos...
Não me lembro, não me posso lembrar.

O outro que aqui passava, então,
Se existisse hoje, talvez se lembrasse...
Há tanta personagem de romance que conheço melhor por dentro
De que esse eu-mesmo que há vinte anos passava por aqui!

Sim, o mistério do tempo.
Sim, o não se saber nada,
Sim, o termos todos nascido a bordo
Sim, sim, tudo isso, ou outra forma de o dizer...

Daquela janela do segundo andar, ainda idêntica a si mesma,
Debruçava-se então uma rapariga mais velha que eu, mais
lembradamente de azul.

Hoje, se calhar, está o quê?
Podemos imaginar tudo do que nada sabemos.
Estou parado física e moralmente: não quero imaginar nada...

Houve um dia em que subi esta rua pensando alegremente no futuro,
Pois Deus dá licença que o que não existe seja fortemente iluminado,
Hoje, descendo esta rua, nem no passado penso alegremente.
Quando muito, nem penso...
Tenho a impressão que as duas figuras se cruzaram na rua,
nem então nem agora,

Mas aqui mesmo, sem tempo a perturbar o cruzamento.

Olhamos indiferentemente um para o outro.
E eu o antigo lá subi a rua imaginando um futuro girassol,
E eu o moderno lá desci a rua não imaginando nada.

Talvez isso realmente se desse...
Verdadeiramente se desse...
Sim, carnalmente se desse...

Sim, talvez...

PACO BANDEIRA

Hoje é um dia especial, aliás muito especial para mim. A razão é um presente que acabo de receber do além- mar, me foi enviado por um amigo português, uma pessoa muito especial que conheci num vôo entre Lisboa e Luanda. Já no avião, falamos sobre Portugal e Brasil, sobre as coisas que nos são comuns, mais que tudo falamos sobre música, e tivemos a oportunidade de assistir um clip de música brasileira, mostrei então nosso ministro da cultura, pois o mesmo aparecia cantando com Daniela Mercury.
Um fato me marcou muito, foi quando atravessavamos o deserto do Saara, estavamos sobrevoando a Mauritânia, quando a Daniela Mercury cantava Aquarela do Brasil, senti uma emoção forte. Falei então para o meu amigo Antonio, da minha admiração pelo fado, por Amália, falei-lhe de um cantor e compositor português por quem expresso uma grande admiração, trata-se de Paco Bandeira, falei do meu desejo de conseguir um CD do mesmo, já que as minhas tentativas neste intento tinham falhadas, Antonio me disse que quando chegasse em Lisboa me enviaria um CD do mesmo. A previsão do mesmo ficar em Luanda era de dez dias, já que o mesmo estava à trabalho, no aeroporto em Luanda na migração ficamos de nos encontrar para tomar uma cerveja, não nos foi possivel este contato. Meu amigo por ter muito trabalho, ficou além do previsto, quase saimos juntos de Luanda, saí um dia depois.
Mas a internet está aí mesmo, e mantemos nosso contato através da mesma, e num desses contatos Antonio me pediu meu endereço (morada em bom português), e hoje para minha alegria acabo de recer um CD duplo de Paco Bandeira, um desses regalos que é para a vida toda.
AMIGO ANTONIO UM FORTE ABRAÇO, E MEU MUITO OBRIGADO.

quinta-feira, julho 12, 2007

REVOLUÇÃO DA ALMA.

Amigos, quero aproveitar este momento de férias, e de momentos tão confusos, para rebuscar Aristóteles.
A Revolução da Alma foi escrita por volta do ano 360 a.C, mas é incrívelmente atual.

Revolução da Alma

Ninguém é dono da sua felicidade,
por isso não entregue sua alegria, sua paz,
sua vida nas mãos de ninguém,
absolutamente ninguém.

Somos livres,
não pertencemos a ninguém
e não podemos querer ser donos dos desejos,
da vontade ou dos sonhos
de quem quer que seja.

Se você anda repetindo muito
"eu preciso tanto de você" ou,
"você é a razão da minha vida",
cuide-se.
Remova essas palavras
e principalmente a ação dessas palavras
da sua vida, pois fazem muito mal
ao seu "eu" interior.

A razão da sua vida é você mesmo.
A tua paz interior é a tua meta de vida,
quando sentires um vazio na alma,
quando acreditares
que ainda está faltando algo,
mesmo tendo tudo,
remete teu pensamento
para os teus desejos mais íntimos
e busque a divindade que existe em você.

Pare de colocar sua felicidade
cada dia mais distante de você.
Não coloque objetivos
longe demais de suas mãos,
abrace os que estão ao seu alcance hoje.

Se andas desesperado
por problemas financeiros,
amorosos
ou de relacionamentos familiares,
busca em teu interior
a resposta para acalmar-te,
você é reflexo
do que pensas diariamente.
Pare de pensar mal de você mesmo(a),
e seja seu melhor amigo(a) sempre.

Sorrir significa aprovar,
aceitar, felicitar.
Então abra um sorriso para aprovar
o mundo que te quer oferecer o melhor.
Com um sorriso no rosto as pessoas terão as
melhores impressões de você,
e você estará afirmando para você mesmo,
que está "pronto"para ser feliz.

Trabalhe, trabalhe muito a seu favor.
Pare de esperar a felicidade sem esforços.
Pare de exigir das pessoas aquilo que nem
você conquistou ainda.

Critique menos, trabalhe mais.
E, não se esqueça nunca de agradecer.
Quando você agradece,
Deus recebe seu coração.
Agradeça tudo que está em sua vida
nesse momento, inclusive a dor .
Nossa compreensão do universo,
ainda é muito pequena para julgar o que
quer que seja na nossa vida.

Por fim,
acredite que não estamos sozinhos
um instante sequer.
Você pode,
através de uma oração simples
e de coração
buscar Aquele que é maior
que quaisquer problemas.
Unir-se a DEUS nos momentos de alegria,
garante uma facilidade maior de contato
nos momentos menos alegres.
Pense nisso!!!

segunda-feira, julho 09, 2007

PARABÉNS.

Parabéns a esta grande figura da música latina e mundial, que hoje completa 72 anos.
PARABÉNS MERCEDES

POETINHA SARAVÁ

Minha benção ao poetinha maior, vão se já 27 anos desde sua morte.
SARAVÁ

PSEUDO SONETO PARA HIPÓCRITAS

Amigos, viajando pelo mundo internáutico, descubro um soneto em galego, achei muito interessante, e o socializo com o mundo blogueiro.
Atentem que está em galego, lingua que se fala na Espanha e Portugal, na região da Galícia, é na verdade uma mistura de portugues e espanhol, dá para entender.

Adico este intento de soneto (está feito así porque me deu a min a gana,
non por outra cousa) aos hipócritas "lambecús" que existen nesta vida,
que ofrecen a súa amizade e realmente o único que queren é quedar ben
con todo o mundo a costa do que sexa ou de quen sexa.
Adicado a todas as que fan seu o famoso "DONDE DIJE DIGO, DIGO DIEGO"
e, sobre todo, vai adicado aos trepas sen escrúpulos que van con
cariña de boa persoa pola vida, pero que realmente teñen pel de cobra.
Para elas vai... saúde!!!

Pseudo soneto para hipócritas

Vomitarei a cervexa anticuada
que convidaste coa túa supremacía.
Xa non me molesta que se ría
se eu lanzo a última gargallada.

Se baixo a túa careta maquillada
ríese de min a túa hipocresía
aquela amizade que perecía
rescata confesións da almofada.

Fai o intento de pechar a túa boca
só se a inxuria te deixa e permite.
¿Pode subir o valor do meu envite

ou é a mentira a que lle retoca
para insultarme con falso remite
e convertir en odio todo o que toca?

domingo, julho 08, 2007

O SER HUMANO!

Quem entende o ser humano...!!!

Se fores bom... Seguramente serás chamado de hipócrita.

Se fores indiferente com os demais... Que tu és má pessoa vão dizer.

Se trabalhares com afinco... Dizem que não dedicas teu tempo para as pessoas.

Se não trabalhares... De vagabundo vão te chamar.

Se dormires pouco e trabalhares muito... Dizem que tu te desgastas muito.

Se dormires muito e trabalhares pouco... Dizem que a preguiça vai te matar.

Se fugires de problemas... Covarde te dirão.

Se enfrentares os problemas... Problemático te vão chamar.

Se vais sempre à igreja... És um fanático.

Se à igreja não vai... De ateu vão te chamar.

Se não sais de casa... De chato vão te chamar.

Se saíres com freqüência... És um perdido.

Se correres em busca de sucesso... Com inveja te olharão.

Se te conformares com o que tens... Serás um conformado.

Se fores jovem e disposto... Imaturo te chamarão.

Se fores velho e experimentado... Já não serves para opinar.

Se andares a passos lentos... Dizem-te para avançar.

Se andares muito rápido... Haverá queixa por não te alcançarem.

Se fores um sonhador... Que te acordes te dirão.

Se fores um realista... De inumano te chamarão.

Se fores amável com os outros... Deves esconder algo.

Se fores grosseiro... Ninguém te suporta.

Se fores honesto e sincero... De idiota vão te chamar.

Se fores o contrário... Da mesma forma vão te criticar.

Se amas e te entregas todo... Dizem que muito sofreras.

Se vives para ti... Dirão que sem amor não se vive.

Quem entende a vida... Quem entende o ser humano.

BIENVENIDO GRANDA


Como fã ardoroso da música latina, principalmente da cubana, não posso deixar de lembrar a data de falecimento deste grande nome da música cubana, que ocorreu em 07 de julho de 1983.

sexta-feira, julho 06, 2007

BOM SABER 2

VIOLINO.

O violino é um instrumento de quatro cordas,mi, lá, ré, sol - do naipe das Cordas Friccionadas, que seria corresponde ao Soprano da voz humana. O timbre do violino é agudo, brilhante e estridente, mas, dependendo do encordoamento utilizado, pode-se produzir timbres mais aveludados e mornos. Na orquestra, o líder do naipe de primeiros-violinos é chamado de spalla. Depois do maestro, ele é o comandante da orquestra. O spalla fica à esquerda do maestro, logo na primeira estante do naipe dos primeiros-violinos. O som geralmente é produzido pela ação de friccionar a crina de um arco de madeira sobre as cordas.

Os primeiros violinos foram feitos na Itália entre os meados do fim do século XIV e o início do século XV, evoluindo de antecessores como a rebec, a vielle e a lyra da braccio. Durante duzentos anos, a arte de fabricar violinos de primeira classe foi atributo de três familias de Cremona: Amati, Guarneri e Stradivari (com a latinização deu-se Stradivarius, Guarnerius).

O violino propriamente dito manteve-se inalterado por quatrocentos anos. A partir do século XIX modificou-se apenas a espessura das cordas, o uso de um cavalete mais alto e um braço mais inclinado. Inclusive, a forma do arco consolidou-se aproximadamente nessa época. Originalmente com um formato côncavo, o arco agora tem uma curvatura convexa, o que lhe permite suportar uma maior tensão das crinas, graças às mudanças feitas pelo fabricante de arcos François Tourte, a pedido do virtuose Giovanni Battista Viotti, em 1782.

O violino tem longa história na execução de músicas de raiz popular, que vem desde os seus antecessores (como a vielle). A sua utilização tornou-se mais expressiva a partir da segunda metade do século XV.

No meu entendimento é o mais romântico de todos os instrumentos.

LOUIS ARMSTRONG

Há 36 anos falecia Louis Armstrong

Autodidata, Louis Armstrong, ainda pequeno, comprou uma corneta e aprendeu a tocá-la. Juntou-se com um grupo de rua, onde cantava para ganhar alguns trocados. Depois de ser enviado para um reformatório por se envolver em uma confusão na rua, Armstrong passa a ter um contato intensivo com a música, tocando instrumentos de sopro na banda da instituição. Ao sair do reformatório resolveu pôr em prática seu talento, construindo aos poucos seu status de músico de jazz mais conhecido em todo o mundo. Anos após sua morte, Armstrong ainda é chamado de “a personificação do jazz”.


terça-feira, julho 03, 2007

BOM SABER 1

A CÍTARA
A cítara é um instrumento musical de várias cordas presas sobre um arco de madeira, com ou sem caixa de ressonância, que se toca com ambas as mãos. A lenda diz que o imperador Nero queimou Roma tocando uma cítara. Composta por onze cordas de ressonância e sete que são tocadas, é muito leve, feita geralmente com duas cabaças, uma para o corpo e uma acoplada no braço do instrumento para servir apenas como ressonância. As cordas são feitas de cobre ou bronze e também nylon. É afinada em quintas, entre os tons dó, dó# e ré.
Tendo ao todo 18 cordas, tem como objetivo cantar e alegrar.