sexta-feira, julho 27, 2007

ÉGUA, MAIS ASSIM!!!!!!!

Existem coisas que só mesmo o Brasil pode proporcionar, e em especial quando a coisa vem do campo da politica.
Quando estou entre amigos , tomando umas e outras, radicalizo em meus discursos as questões da ética e da moral, sou taxado de chato, radical, retrógrado, e uns até chegam evocar Fidel como um como um azoinado senhor, para tentar defender principios moderno (embora imorais) da nova ordem mundial.
Pois bem, estes defensores de uma moral que eu considero imoral, carregam em suas mãos e em seus discursos, todo um pseudo posicionamento de mudanças, que hoje só poderão ser implementadas pelas vias da modernidade capitalista, uma meia dúziazinha de "companheiros" que maravilhados com o progresso e com a evolução da revolução indústrial, não seriam mais capazes de existirem sem seus celulares, sem seus veiculos, e sem tantos outros bens supérfluos, que por força da midia, tornaram-se vital para os mesmos.
O preâmbulo tem por finalidade desmistificar a posição salvadora do Partido dos Trabalhadores (é claro, como diria o amigo Bueres, que não descobri a pólvora)
que por muito tempo defendeu uma moral e uma ética que não era deles, senão vejamos:
O ministro da Cultura (quem muito admiro como artista) deixou bem claro quando foi convidado para o cargo, que não seria capaz de fazer votos de pobreza com um salário de R$ 8.000,00 reais, (sei que o mesmo não pertence ao PT, mas...).
Os cercanos do Presidente fizeram o que fizeram, com grana pública.
E agora o Pará leva seu golpe de redenção, nossa governadora afirma em entrevista que o salário dela não dá para comprar "tudo", e que o Estado tem sim que bancar suas despesas, porque o fazia com seus antecessores, o pior é que ela quer aparecer bonita (aí mano tá foda eu pagar para tentarem transforma-la em cinderela, aliás missão impossível).

Parte entrevista da Governadora ao G1
Após ter nomeado “por erro administrativo” a cabeleireira como assessora, a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), afirmou que suas necessidades pessoais continuarão a ser pagas pelo estado, uma vez que, segundo ela, é direito de todo chefe do Executivo. E de acordo com a governadora, seu salário não seria suficiente se tivesse de pagar por todos os serviços dos quais necessita. (ela esquece que ela é servidora pública, se não dá procura outro emprego)

“Quem pagava o barbeiro do ex-governador? Quem pagava a cabeleireira da ex-vice-governadora?
A diferença é que nós queremos fazer de forma transparente. Fizemos consulta ao Tribunal de Contas do Estado, e a lei diz que o estado é responsável por serviços de caráter pessoal do chefe do Executivo. Meu médico quem trata é o estado, meu tratamento, a casa onde moro... É natural. E todos os chefes de Executivo do Brasil têm. Eu tenho de governar o estado adequadamente preparada. Imagine se eu for, com o meu salário, comprar tudo?”, diz a petista, que ganha salário bruto de cerca de R$ 12 mil. (ela também não consegue fazer votos de pobreza com R$12.000,00 reais, e quer comprar tudo)
[O G1 consultou o Tribunal de Contas do Estado (TCE) para saber se a governadora pode pagar os serviços pessoais, como os de beleza, com dinheiro público. A assessoria de imprensa informou que o governo fez uma consulta sobre o tema, mas que ainda não há decisão final.
Ao comentar as acusações feitas pela oposição de que cometia nepotismo em seu governo por empregar um irmão e um ex-marido, a governadora destacou que grande parte das críticas são decorrência de que ela é “mulher e de esquerda”.
G1 - Uma questão que provocou polêmica foi a nomeação de uma cabeleireira e de uma esteticista para o seu governo. O que aconteceu?
Ana Júlia - Não gerou polêmica. Foi um erro administrativo, reconhecido, corrigido, um equívoco. Foram nomeadas por orientação da Casa Militar. Havíamos solicitado que fossem exoneradas, demorou três semanas, mas elas não receberam um centavo. A forma de contratação foi equivocada.
G1 - A sra. mora numa casa alugada, embora exista uma residência oficial. A sra. teve de reformar a residência oficial?
Ana Júlia - Não foi reformada. Ela (a residência oficial) precisaria de muita reforma. E eu, como governadora, tenho direito de morar onde eu quiser, e o estado tem de garantir condições para que eu more. Eu não tenho casa. Eu pagava aluguel até dois meses atrás. Tive que vender um apartamento em 2005 para cumprir compromissos passados. O estado paga uma casa num condomínio, não tem nada de anormal.(ela só não diz que a casa é do bacana dela).
A Entrevista está no site: http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL73332-5601,00.html
É bom conferir.

2 comentários:

Flor disse...

Que país é este, hein Xico?


que governantes desgovernados nós elegemos, o povo elegeu...


Também eu não consigo fazer "tudo" com meu salário de servidora pública estadual -professora"!!!!

E nem condições de trabalho mais digno nos dão, para que não apenas sejam as "bandeiras" levantadas nas campanhas eleitorais, mas sim que se tornassem realidade no nosso dia-a-dia: EDUCAÇÃO, SAÚDE, TRABALHO...

Ave!

Xico Rocha disse...

O que dói mais minha amiga é o desrespeito com o povo.
Abraços
Xico Rocha