segunda-feira, novembro 24, 2008

CHICANA, ABUSO DE DIREITO

Este artigo é de autoria do companheiro Nilton Atayde, e retrata sua revolta com o sistema.


CHICANA, ABUSO DE DIREITO E A ISONOMIA DOS DELEGADOS DE POLÍCIA.

* Nilton Atayde


Chicana”, nas palavras do eminente jurista De Plácido e Silva, “é expressão vulgarizada na linguagem forense para indicar os meios de que se utiliza o advogado para protelar ou criar embaraços ao andamento do processo ajuizado. Caracteriza-se a chicana, que se revela em abuso de direito, nos ardis postos em prática pela advogado de uma das partes litigantes, seja pela apresentação ou provocação de incidentes inúteis, seja pelo engenho com que arquiteta outros meios protelatórios ou embaraçosos ao andamento da ação, criando figuras jurídicas que não encontram amparo em lei ou na jurisprudência, ou tramando toda espécie de obstáculos para o pronunciamento célere da justiça. Qualquer embaraço ao andamento do processo, seja por que meio for, mostra-se chicana, que ela se integra, segundo a técnica de nossa lei processual, em qualquer manejo protelatório da ação, ou da resistência injustificada do seu regular andamento”.

A chicana, portanto, são os meios escusos, mesquinhos, sem sentido, sem ética e sem escrúpulos de que se serve uma das partes numa relação processual com o único intuito de protelar, embaraçar ou tumultuar o seu regular andamento, dificultando, assim, o efetivo e imediato cumprimento das decisões judiciais.

No Pará, hoje, vivenciamos uma espécie exemplar de chicana, patrocinada, por incrível que pareça, pelo próprio estado, através de sua procuradoria geral.

É sabido pela sociedade paraense, mercê da ampla divulgação pela imprensa local, do reconhecimento judicial da isonomia salarial entre os delegados de polícia e os procuradores do estado.

O tratamento isonômico reclamado pelos delegados de polícia se ampara em previsão constitucional, cujo reconhecimento judicial tem sido reiterado pelo Tribunal de Justiça do Estado.

Em 1994, por força do v.acórdão no. 25.729-TJE, a isonomia foi efetivada e paga aos delegados, porém, a partir de novembro de 1995, a decisão judicial foi absolutamente ignorada.

Em 1997 a decisão judicial formou coisa julgada, sacramentando definitivamente o direito a isonomia de vencimentos, inclusive com o beneplácito indireto da própria procuradoria do estado, uma vez que “os recursos excepcionais do estado sequer chegaram a ser processado”, como consta da decisão judicial proferida pelo eminente desembargador Ricardo Ferreira Nunes, a seguir mencionada.

Por conta de tal situação, em 2006 a associação dos Delegados de Polícia do Pará-ADEPOL, ajuizou Ação de Reclamação perante o TJE-Pa para fins de cumprimento da decisão judicial desobedecida. Assim, no dia 05.12.2007, o douto desembargador Ricardo Ferreira Nunes, relator da ação, através do acórdão no. 69380, não só reconheceu o direito a isonomia salarial, como enfatizou que o seu não pagamento fere dispositivo constitucional, julgando procedente a Reclamação e determinando o cumprimento integral do que fora decidido no Acórdão no. 25.729, acima referido, no que fora acompanhado por todos os demais desembargadores daquele Egrégio Tribunal.

A partir daí, tome-lhe chicana! Pedido de desconsideração da decisão do Tribunal, agravo regimental, pretensão de recurso especial e recurso extraordinário, questionamentos de notas taquigráficas, embargos de declaração, etc, etc, todos indeferidos pelo TJE por absoluta falta de amparo legal.

A chicana, na verdade, nada mais é do que a pretensão de burlar a efetiva aplicação da lei, incorrendo em desobediência a ordem judicial.

Sabemos que ainda vem chicana por aí, mas a justiça do Pará não sucumbirá, haja vista que ela mesma reconheceu reiteradas vezes o direito que, inconseqüentemente, vem sendo contestado pela Procuradoria Geral de Estado.

A isonomia é ponto pacífico, é coisa julgada, inobstante os falaciosos e casuísticos argumentos que a contrapõe.

Decisão judicial cumpre-se! Ainda que contra a vontade, deve ser cumprida. É mandamento constitucional, é premissa fundamental no estado democrático de direito que constitui a base sobre a qual se finca o modelo republicano brasileiro.

Mas a chicana não é só a embromação processual, é também má-fé e se constitui, por conta disso, em abuso de direito que, por sua vez, origina o ato ilícito.

As modernas legislações do mundo, inclusive a nossa, têm como parâmetro essencial, fundamental, a boa-fé. O princípio da eticidade preconiza que todos os negócios jurídicos terão que ser interpretados conforme a boa-fé.

O Código Civil Brasileiro, no seu art. 187, prevê que comete ato ilícito o titular de um direito que, ao exercê-lo, excede manifestamente os limites impostos pelo seu fim econômico ou social, pela boa-fé ou pelos bons costumes. É como se fosse o excesso na legítima defesa, no âmbito do direito criminal.

Assim, quando o direito é exercido arbitrariamente, excedendo o seu próprio limite, ou quando a boa-fé é postergada, dando origem ao ato ilícito, vislumbra-se o abuso de direito, que, conforme o art. 927 do CCB, gera a obrigação de indenizar (“aquele que, por ato ilícito, causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo”).

A chicana, dessa forma, na medida em que é praticada, causa o dever de indenizar.

Se quem está dando causa a chicana tivesse que arcar futuramente com ônus indenizatório do próprio bolso, com certeza não se lançaria a temerária aventura.

Tão repugnante é a má-fé processual que, além do abuso de direito, a doutrina e a jurisprudência mais modernas têm entendido como assédio processual a prática repetida de medidas destituídas de fundamentos com o objetivo apenas de retardar a marcha processual ou a efetiva aplicação da lei, causando prejuízo moral á parte que não consegue ter adimplido o seu direito constitucional de receber a tutela jurisdicional de forma célere e precisa, incidindo em violação a norma constitucional prevista no art. 5º, inc. LXXVIII, e que impõe ao poder judiciário a garantia da celeridade e a repulsa a qualquer tipo de conduta que postergue ou atrapalhe a efetividade processual.

Assim, além do que já é devido aos delegados do Pará, o Estado corre o risco de aumentar esse débito em ação judicial a que venha ser eventualmente condenado pela prática da chicana, mediante o abuso de direito e o assédio processual.

Os delegados vão à luta pelo resgate da dignidade da categoria, pelo cumprimento da decisão judicial e pelo repúdio aos abusos.

À propósito, é de Marcel Planiol a lapidar frase: “O direito cessa onde começa o abuso”.

* O autor é Delegado de Polícia Civil

Secretário Geral do SINDELP-PA


quarta-feira, outubro 08, 2008

ETERNO CHE

O INÍCIO NÃO COMEÇA NO PARTO, ASSIM COMO O FIM NÃO ESTÁ NA MORTE.
CHE ÉS ETERNO.

terça-feira, agosto 26, 2008

MANO DUDA E SEU NIVER.

Mano Duda fica mais experiente hoje, aproveito a data para felicitá-lo e desejá-lo muito SUCESSO E muita PAZ. Como selo de amizade ai vai uns escritos de Mauricio Ponsancini, que dedico ao Duda.

AO AMIGO:

Serás meu amigo quando sorrires comigo.
Para que eu seja teu amigo, deverei chorar contigo tuas lágrimas.
Provarás tua amizade , vindo ao meu encontro.
Eu provarei ser teu amigo não deixando haver o desencontro.

Agradecerei tuas palavras quando estas aplaudirem os meus acertos. Tu bendirás as minhas palavras quando eu te censurar os erros e faltas, te apontando o caminho reto

Serás meu amigo quando me auxiliares a crescer e a subir;
somente serei teu amigo quando tiver a coragem de cair contigo e, serei um amigo quando descer ao fundo do poço para te amparar na queda.

Ficar-te-ei grato pelas lições em que me ensinarás o justo e o correto, eu serei sempre teu amigo e sempre perdoarei seus deslizes.

Serás meu amigo na escuridão e quando acenderes a luz, mais ainda. Estarei velando sempre os teus sonhos para que sonhes sempre colorido.

Agradecerei teu "sim" amigo, a que corresponderei e retribuirei com a coragem de dizer-te "não", quando essa for a palavra verdadeiramente amiga.

Tua amizade se mostrará quando me mostrares o paraíso; a tua amizade me impulsionará para frente; a minha amizade te dará ânimo para ir ao encontro da esperança e da paz.

Provarás tua amizade sendo a lança e o escudo para que eu consiga minhas vitórias e provarei a minha, não descartando de ti em tuas derrotas.

Quando ofereceres aquilo que preciso, serás dedicado e generoso amigo e eu só o poderei ser se, a teu favor , renunciar aquilo de que preciso e de que não posso privar.

Assegurar-me-ás que, és realmente amigo quando me tratares como teu irmão e te assegurarei de minha amizade, quando tratar meus irmãos assim como trato a ti.

Para seres meu amigo, perpetuarás nossa amizade e serás sempre amigo deste teu amigo.


quinta-feira, julho 17, 2008

MORTE

Oh senhora tão temida. por que és tão tu? Será que nada é capaz de sobrepujarte?
Direi-te eu agora, claro algo há de ser superior a ti , então Deus de nada valerá.
Digo-te isto porque no meu entendimento ateu nada existe que supere o outro, logo
contradigo-me sim , é que deixo transparecer, que Deus é superior a ti , o que não é verdadeiro , tu sim és maior que Deus pois nem mesmo a ele és capaz de respeitar quando te pronuncias nada é capaz deter-te.
Logo tu és Deus.

domingo, julho 13, 2008

quarta-feira, março 19, 2008

DESEJOS EM VIDA

Recebi com muito carinho, uma tarefa de uma amiga do extremo sul da nossa América.

E como não poderia deixar de ser, estou a cumpri-la.

Trata-se da seguinte obrigação:

1 – a pessoa selecionada, deve fazer uma lista, com oito coisa que gostaria de fazer antes de morrer.

2 - É necessário que se faça uma postagem relacionando estas oito coisas, não importando o que seja, é necessário que a pessoa explique as regras do jogo.

3 – Ao finalizar, devemos convidar oito parceiros de blogs.

4 – E finalmente, deixar se possível um comentário para que nos convidou, e informar o convidado.

Minhas oito coisas:

1 – Deixar o mundo melhor do que eu encontrei;

2 – Cuidar de uma árvore;

3- Amar intensamente, as pessoas queridas;

4 – Compartilhar alegrias com os amigos

5 – Ser feliz

6 – Aumentar o número de amigos;

7 – Escrever um livro;

8 – Viver a intensidade da vida.

Convidados:

Ex-Direito e Esquerdo

Dispersamente É só saudade

Pedra de alquimia (Mari)

Blog do Pedro Nelito

Nesteinstante (Kiara Guedes)

Xienra Zona desaparecida

jotapintodurao.blogs.sapo.pt

Revelações de minh'Alma.

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

AMIZADE SEGUNDO OSCAR WILDE

Não são raros os momentos em que me arvoro a escrever, fico matutando um tema e pimba, enfiu o dedo no teclado e varrumo a mente tentando concatenar idéias e palavras, devo afirmar que sinto dificuldade, mas, ainda assim consigo escrever alguma coisa.
Então salvo numa pasta que de vez em quando é deletada. É que fico buscando a perfeição inatingível, coisa difícil para os pobres mortais feito eu, e logo me convenço que é melhor parar.
Na verdade, o que me leva a abandonar a idéia, é a certeza de que certamente alguém já o fez , isso aconteceu agora, , tentei escrever sobre amigos, e descubro este texto de Oscar Wilde, que expressa todos os sentimentos e vontades do que queria eu, é simplesmente lindo no meu entendimento.

Loucos e Santos

Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

terça-feira, fevereiro 19, 2008

A ESTAÇÃO COMO A VIDA.

Nossa vida em muito se assemelha a uma estação. A cada dia nos envolvemos com novas pessoas, e para cada uma delas haverá uma história a ser contada. Neste eterno vai e vem de pessoas, certamente também passaremos pela vida de muitas delas, e assim aconteceu comigo e meu saudoso amigo Edvar.

Nosso primeiro encontro foi na “FICOM”, hoje Unama, ali estivemos juntos no curso de administração, o tempo passou e perdemos o contato. Nas idas e vindas da vida conheci um outro amigo muito especial, com quem construí laços muito fortes de amizade, companheiro Nilton, que numa dessas coincidências da vida vem a ser cunhado do saudoso Edvar, e então reatamos os vínculos de amizade e passei a estar mais próximo do companheiro Edvar.

Mas, na verdade o que eu quero mesmo, é dar meu testemunho e ratificar a admiração que passei a nutrir pelo amigo. Edvar, era uma dessas pessoas de bem com a vida, desses amigos que sempre estão te empurrando para cima, sua maneira de ver e levar a vida, o tornava uma pessoa cativante e simpática e sua companhia sempre nos levava a ver o mundo pela ótica positiva.

O amigo já não compartilha do nosso viver, certamente Deus careceu dele e o requisitou (acho que Deus estava meio para baixo), e o Edvar tinha a capacidade de transmitir energias positivas e nos fazer alegres, sempre com um sorriso do bem em seu rosto amigo, e com um coração generoso e cheio de bondade.

Amigo onde quer que você esteja, sei que estás a distribuir tua luz, sentimos por não tê-la mais conosco, mas certamente você merece gozar o que aos justos é reservado.

Meu amigo teria feito ontem 58 anos, sei que bem vividos e aproveitados, fiz minha prece solitária ao amigo, e sei que ele entendeu e retribuiu com o que ele tinha de cativante, seu sorriso.


domingo, fevereiro 17, 2008

RASPUTIN


Amigos, pode parecer piada, mas, é sério estas imagens são do pênis do lendário Greogori Rasputin.
Na verdade esta postagem tem como finalidade, ajudar os amigos que sofram da constrangedora
impotência sexual. Conta a lenda que basta um olhar para estas genitálias, e zás, o elemento está curado, o problema é que elas estão exposta no primeiro museo russo de erotismo em São Petersburg.
Quem se habilitar é só dar uma passada lá.

terça-feira, fevereiro 05, 2008

VIOLETA PARRA

Minha adolescência foi embalada por sons revolucionários. Vivi um momento da história onde os que produziam arte, o faziam comprometidos com a construção do "ser" e não somente do "ter", e aflorava em suas obras o altruísmo tão fora de moda hoje.
Tive então contato com a obra de Violeta Parra e pude perceber como ela e tantos outros compositores da época , questionavam a vida em seus limites mais básicos, assim como, faziam contra ponto com o autoritarismo do Estado, com versos demolidores contra as injustiças sociais, que até hoje perduram na nossa tão sofrida, politicamente falando, América latina.
Havia também o contra senso, assim entendo a morte de Violeta Parra, alguém que tão bem cantou a vida, e que num instante de dissabor amoroso e abatimento por conta do fracasso de um empreendimento, se fragilizou a ponto de dar cabo a própria vida.
Mas sua obra a imortalizou em versos como o de "Gracias a la vida", "volver a los 17", e tantos outros. Foi num 5 de fevereiro de 1967, que ela se suicidou.

domingo, fevereiro 03, 2008

DESPEDIDA

Falar de despedida é sempre muito dolorido, mesmo que a mesma seja temporária.

É interessante como a possibilidade da proximidade física das pessoas com a gente, nos permite sentir a presença das mesmas, mesmo quando não nos vemos com a freqüência que a amizade exige. É claro que o comentário tem razão de ser, e logicamente vou explica-lo.

Na última quinta-feira, nos reunimos eu, Nilton, Duda Bueres e o nosso novo companheiro Wilson, no Café Portela do nosso amigo Flávio Pinto, a reunião tinha como objeto principal, o chamado bota fora,

É que nosso amigo, irmão e grande companheiro de copo e de dor e de tantas cositas mas, Nilton Atayde está partindo para uma empreitada grandiosa e que nos enche de muito jubilo (aliás, partiu hoje de manhã), ele está rumando para a capital portenha, onde inicia seu Doutorado na ciência forense.

Vejam o contraditório do ato, é uma partida que nos faz sentir duplo sentimento, alegria pelo fato do mesmo está indo na busca da ampliação de seus conhecimentos, o que por outro lado nos entristece pelo temporário afastamento.

É claro que estamos torcendo pelo sucesso e pelo retorno do nosso grande companheiro, que além da falta que nos faz, nos deixa meio que empobrecidos, no caso eu e Duda Bueres, neófitos no estudo do Direito, em seu repasse de conhecimentos.

Companheiro que Deus, além de te iluminar, te abençoe.

Na tua volta, com certeza brindaremos como a ocasião merece.


LA BAMBA

Como disse o poeta, tenho alguns anos de sangue de sonho e de América do sul, e com certeza por causa deste destino tudo que é latino me vai bem melhor que um blues.
Esta minha admiração por tudo que é feito na América latina, me faz ouvir com maior freqüência músicas produzidas por latinos, mesmo quando, os mesmos são de origens americana (musicalmente falando), como é o caso de Carlos Santana, Ritchie Valens e tantos outros, mas o que me estimulou a postar este artigo, é a data em que Ritchie Valens foi sofreu o acidente de avião que o vitimou.
Este jovem talento que morreu tão precocemente, apenas aos 18 anos conseguiu se eternizar com a sua leitura muito própria, para uma música do folclore mexicano "La bamba".
Nascido em Pocoima, no Vale de San Fernando na Califórnia, (onde tive a oportunidade de viver por um ano) ele continua a ser reverenciado como um grande artista.
Registro minha saudade e admiração.

segunda-feira, janeiro 28, 2008

MARTI

Minha sincera e profunda homenagem ao maior REVOLUCIONÁRIO das Américas.
Nascido no dia 28 de janeiro, JOSÉ MARTI completaria hoje 155 anos.
Mas ele vive em pensamentos e atitudes, e será sempre reverenciado pelos progressistas de todo o mundo.
VIVA CUBA LIVRE!

Um pequeno trecho de seu poema Guantanamera:

Yo soy un hombre sincero, de donde cresce la palma,

y antes de murirme quiero echar mis versos
del alma.
Guantanamera.

SONHO DE CONSUMO

Os idos eram na década de 60 (início da de 70), eu moleque já contaminado pelo germe do consumo, sonhava em possuir uma "MONARETA", a última palavra da indústria das bicicletas. Eis que o guaraná Garoto, lança uma campanha de premiação em que um dos prêmios era nada mais nada menos que uma "MONARETA".
Vislumbrando a possibilidade de ser um dos agraciados com uma "MONARETA", fiz um investimento pesado no tocante a consumo do delicioso refrigerante, bebi vários e vários litros e raspei muitos fundos de tampinhas. Em vão, a sorte e eu estava-mos distanciados abissalmente,
e todas as tentativas resultaram apenas em mera expectativa frustrada, tive mesmo de ralar para realizar o sonho de consumo. Mas o atingi.

terça-feira, janeiro 22, 2008

FARROKH BULSARA

Hoje a chuva deu uma refrescada, a tarde foi maravilhosa. Aproveitei para ouvir um dos grandes clássicos da música mundial, a música "How can I go". Sempre achei o Freddie Mercury um grande intérprete, sua presença nos palcos era realmente algo bonito de ser ver, e sua voz, dispensa qualquer comentário, aliado a Monserrat Cabalet, só poderia resultar algo magnífico.
Agora o que pouca gente sabe, é que ele nasceu Farrokh Bulsara, e é africano nascido no antigo Zanzibar, hoje Tanzânia, só migrou para Inglaterra aos 18 anos.
Mas seu talento é indiscutível.

ELEGIA

Aqui faço uma reverência a JOHN DONNE, e o faço por uma razão simples, adoro um poema deste poeta, que foi traduzido para o português por Afonso de Campos, e musicada por Caetano Veloso. Inicialmente fiz uma certa confusão com Álvaro de Campos (F.P), mas em seguida percebi que se tratava de outra pessoa.
John Donne era Inglês, herdou uma fortuna e transformou ela todinha em prazer (bebida, mulher, teatro e viagens), quiçá minha identidade com o nobre poeta.
Fato é, que acho muito pai d'égua o poema "elegia", o qual transcreverei na integra, destacando a parte que foi musicada.

Elegia: indo para o leito

Vem, Dama, vem que eu desafio a paz;
Até que eu lute, em luta o corpo jaz.
Como o inimigo diante do inimigo,
Canso-me de esperar se nunca brigo.
Solta esse cinto sideral que vela,
Céu cintilante, uma área ainda mais bela.
Desata esse corpete constelado,
Feito para deter o olhar ousado.
Entrega-te ao torpor que se derrama
De ti a mim, dizendo: hora da cama.
Tira o espartilho, quero descoberto
O que ele guarda quieto, tão de perto.
O corpo que de tuas saias sai
É um campo em flor quando a sombra se esvai.
Arranca essa grinalda armada e deixa
Que cresça o diadema da madeixa.
Tira os sapatos e entra sem receio
Nesse templo de amor que é o nosso leito.
Os anjos mostram-se num branco véu
Aos homens. Tu, meu anjo, és como o Céu
De Maomé. E se no branco têm contigo
Semelhança os espíritos, distingo:
O que o meu Anjo branco põe não é
O cabelo mas sim a carne em pé.

(parte musicada)

Deixa que minha mão errante adentre.
Atrás, na frente, em cima, em baixo, entre.
Minha América! Minha terra a vista,
Reino de paz, se um homem só a conquista,
Minha Mina preciosa, meu império,
Feliz de quem penetre o teu mistério!
Liberto-me ficando teu escravo;
Onde cai minha mão, meu selo gravo.
Nudez total! Todo o prazer provém
De um corpo (como a alma sem corpo) sem
Vestes. As jóias que a mulher ostenta
São como as bolas de ouro de Atalanta:
O olho do tolo que uma gema inflama
Ilude-se com ela e perde a dama.
Como encadernação vistosa, feita
Para iletrados a mulher se enfeita;
Mas ela é um livro místico e somente

A alguns (a que tal graça se consente)
É dado lê-la. Eu sou um que sabe;
Como se diante da parteira, abre-
Te: atira, sim, o linho branco fora,
Nem penitência nem decência agora.
Para ensinar-te eu me desnudo antes:
A coberta de um homem te é bastante.

quarta-feira, janeiro 09, 2008

AS MULHERES E SEUS SABORES!

MULHER CAMARÃO: na cabeça, mas é gostosa e você come assim mesmo.

Só tem merda na cabeça, mas é gostosa e você come assim mesmo.

MULHER PÃO:

Tem sempre o mesmo gosto, mas você come todo dia.

MULHER APERITIVO:

A seco não rola, mas acompanhada de uma bebida você come e ainda acha bom.

MULHER LAGOSTA:

Só come quem tem dinheiro.

MULHER CAVIAR:

Dizem que alguém come, mas você não conhece ninguém.

MULHER BACALHAU:

Você só come uma vez por ano.

MULHER ARROZ:

É a oficial; você só come porque já está acostumado.

MULHER MAIONESE DE FIM DE FESTA:

Todo mundo te avisa pra não comer, mas você come porque ta desesperado, e se arrepende depois.

MULHER OSTRA:

Todo mundo fala, mas, quando você vai comer, não tem nada de mais.

MULHER RÃ:

Todo mundo já comeu, menos você.

MULHER SALADA:

É bonita, mas quando você come, descobre que não é tão gostosa assim.

MULHER CAFEZINHO DE SUPERMERCADO:

Você nem faz questão, mas, como é de graça, você come.

MULHER JILÓ:

É horrível, mas, você conhece alguém que come.

MULHER DOCINHODE FESTA:

Você fica com vergonha de chegar junto, fica olhando de longe, aí vem outro e come, e deixa você deixa na mão.

MULHER FEIJOADA:

Você come, e ela fica te enchendo o dia todinho.

MULHER ESPINAFRE:

Te dá força quando você está na pior.

MULHER COQUEIRO:

Você pode trepar que não tem galho.

MULHER MIOJO:

Em três minutos está pronta para comer.

MULHER COCA-COLA 2 LITROS:

Dá para seis.


terça-feira, janeiro 08, 2008

SEM PALAVRAS!

A beleza da foto, não me permite comentar nada, alguém se habilita?

domingo, janeiro 06, 2008

AGORA FALANDO SÉRIO!

É meus amigos, após as festas, vem sempre o trabalho, o ano começa para valer amanhã, e eu já me preparo com unhas e dentes, para iniciar minha corrida atrás do meu segundo milhão de dolar. Vamos a luta.

sábado, janeiro 05, 2008

CULINÁRIA PARÔARA




Esta é uma pequena amostra da nossa cozinha. Ela sofre influência de várias culturas, da indígena, da africana, da européia, além do que criamos. De cima para baixo:
Vatapá - a - base de camarão;
Pato no tucupí - o pato cozido no suco extraido da mandioca, e jambú;
Maniçoba - Folhas de mandioca cozidas por mais de oito dias, temperada com touçinho de porco, pé de porco, orelha de porco, paio, chouriço, e outras cositas mas.
Peixe ao creme de macaxeira.
Delicias que podem ser regadas com uma boa caipirinha.

sexta-feira, janeiro 04, 2008

CURUÇAMBÁ - AMAZÔNIA




Curuçambá, é uma localidade muito perto de Belém, pouca gente sabe, mas, é um local que possui a beleza rústica da Amazônia, o rio Maguarí que banha o povoada possui uma navegação acentuada de barcos e balsa. A marina Tu-tubarão é um point muito aprazível. Nos finais de semana o fluxo de lanchas e jet skis é intenso.
Nosso amigo Nilton Atayde é um assíduo visitante, e praticante da pesca (e como pesca o companheiro).
Vale a pena uma visita .

INFORMAÇÕES GLOBALIZADA

Este post é dedicado à um nobre amigo, que sempre que comentamos sobre o comandante Chavez, ele diz que o que lhe preocupa no firme mandatário, são seus investimentos bélicos.
Pois bem, já que o nobre amigo só lê O globo e a veja, o que o nobre amigo não sabe, é que na América Latina, o campeão em gasto militar, é o nosso pacato irmão Chile. A informação é do Centro de Política Internacional de Washington, e que é assinada por Raúl Zibechi.
Os gastos efetuados pelo Chile , lhe valeram um avanço no ranking da capacidade militar, saindo do quarto para o terceiro lugar, tomando a posição da Argentina,e se aproximando do Peru, que é o segundo lugar.
Se considerar-mos o PIB, o Chile é primeiro, pois gasta em defesa, 3,8% do seu PIB, com a Colômbia em segundo, gastando 3,7% do PIB nacional colombiano.
Nobre e direitista (embora travestido de esquerda), se oriente quanto à gasto bélico na América Latina.

quinta-feira, janeiro 03, 2008

ALMA INQUIETA

A alma inquieta pergunta ao céu... Por que existo?

A alma inquieta pergunta ao vento... Por que existo?

A alma inquieta pergunta às estrelas... Por que existo?

A alma inquieta pergunta...

Pergunta...

E não obtém respostas.

Será que existe resposta

para as almas inquietas?