domingo, outubro 07, 2007

AMIGOS, AH OS AMIGOS.

Ah os amigos, que seria eu sem estas figuras.
Hoje por exemplo, estava eu recolhido a minha insignificânte condição de ressaquiado, quando meu intrépido amigo Bueres, se me apresenta devidamente paramentado de etílico sorvedor, ávido do néctar dos deuses, provido de contundentes argumentos captador de séquitos adeptos do nobre manjar. Empobrecido de argumentos lógicos e movido pelo impeto etílico, logo sou cooptado. Evidentemente Bueres usa recursos próprio dos convencedores. Ainda em casa ele faz uso de recursos parafernálicos hodiernos (celular), e conclâma o nosso companheiro Nilton Atayde, ocorre que o nobre Bueres faz a injunção de que Nilton esteja no canoodrómo, ledo engano, Nilton se faz presente lá pelas bandas da New City em majestosa reunião baconiana devidamente assentado em basilares familiarescos... Feliz.
Bueres não se rende, recorre a nossa agenda de companheiros solidários as questões do radical monovalente C²H5, e encontra dentro dos padrões da disponibilidade domingueira , nosso amigo Pedro Nelito, que após relutante batalha se rende aos apelos chorosos de Loco Bueres.
Acertado os nortes debandamos de casa em busca do oásis perfeito, Bueres é exigente, ainda assim consigo satisfazer seus delirantes e romanescos desejos sitiescos e o levo até a choperia Barley(point novo e prazeroso na Marambaia).
O calor vespertino é decisivo na ingestão do chopp, baixamos dois, e mais dois e.... Até a chegado do Pedro.
O restante será comentado no próximo capitulo. é que no tete-a- tete, são suscitados assuntos que adentram a alma dos pobres mortais, evocando prantos e suscitando sentimentos que transcendem a razão humana, e que não cabem numa discussão domingueira.
Hasta la vista

2 comentários:

citadinokane disse...

Eu fico me perguntando por quem choras cavaquinho? Era pura nostalgia, ou talvez quem sabe a inocência perdida... o certo é que houve choro na casa de Noca...
Vou parar de beber cevada a memória é fogo!

Xico Rocha disse...

Amigo Nelito, os escolhidos, além de não poderem, não devem parar de sovar o precioso liquido espumante, ele tem a capacidade de tocar fundo a alma.
Te espero para um próximo e breve encontro, aqui pelas bandas da Maramba.
Xico Rocha.