sábado, novembro 25, 2006

SENSO SOCIAL


Numa época em que a competição feroz fala mais alto que a solidariedade e a cidadania, vale a pena lembrar, para despertar o nosso senso social adormecido, o que disse Albert Einstein:

"Eu, enquanto homem, não existo somente como criatura individual mas me descubro membro de uma grande comunidade humana. Ela me dirige, corpo e alma, desde o nascimento até a morte, Meu valor consiste em reconhecê-lo. Sou realmente um homem quando meus sentimentos, pensamentos e atos têm uma única finalidade: a comunidade e seu progresso. Minha atitude social, portanto, determinará o juízo que têm sobre mim, bom ou mau."

3 comentários:

marisanblog disse...

Um dos maiores males da humanidade, é não perceber e não querer saber, que existe um próximo, próximo.

Valeu o post Xico Rocha.

Mari

yiriangarciadelatorre disse...

Saliste muy bien en la foto del che.
Mis primeros intentos con el portugués fue un padrastro que estuvo en angola luchando, luego me llegó la versión en portugués de Olga Benario y aunque tengo la edición en español, sigo con el dulzor de la primera lectura. El poema es para compartir criterios antes de ganar esperanzas. Luego una vuelve a vivir.
Puedes conocerme a través de mis weblog
http:// www.sitiosdecuba.blogspot.com
www.yiriangarciadelatorre.blogspot.com
www.davincicubano.blogspot.com
www.siporcuba.blogspot.com

Menina_marota disse...

Albert Einstein, que diria na época actual, quando existe tanta falta de solidariedade e os interesses económicos ultrapassam tudo o resto?

Gostei imenso deste moemnto de reflexão. Grata poe ele.

Um abraço deste lado do mar... ;)