terça-feira, dezembro 04, 2007

SACANAGEM!

O olhar raso que a mídia nos oferece do mundo, faz carecer um empenho maior de cada um, na busca da essência das coisas, é necessário escindir o que é escatológico do que não o é.
O comentário tem uma razão, é que eu sempre vi na Elisa Lucinda, tão somente uma atriz da Globo, quando na verdade a mesma é mais poetisa que atriz, inclusive ela mantém há sete anos a "Escola Lucinda de Poesia Viva" onde ministra aulas de interpretação teatral de poesia, possui livros editados e também CDs gravados. Mas o que me fez postar este comentário, foi um e-mail que recebi da minha amiga Mírlei, com o poema "SACANAGEM", evidentemente que de Elisa, e que Ana Carolina recitou em um de seus shows.

Meu coração está aos pulos! Quantas vezes minha esperança será posta a prova? Por quantas provas terá ela que passar?
Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro. Do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos duramente pra educar os meninos mais pobres que nós, pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais. Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais. Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta a prova? Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais? É certo que tempos difíceis existem pra aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz. Meu coração ta no escuro. A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e todos os justos que os precederam. 'Não roubarás!', 'Devolva o lápis do coleguinha', 'Esse apontador não é seu, minha filha'. Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar! Até hábeas corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha visto falar, sobre o qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará! Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear! Mais honesta ainda eu vou ficar! Só de.sacanagem!
Dirão: 'Deixe de ser boba! Desde Cabral que aqui todo mundo rouba!
E eu vou dizer: 'Não importa! Será esse o meu carnaval! Vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos.' Vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo, a gente consegue ser livre, ético e.o.escambal.
Dirão: 'É inútil! Todo mundo aqui é corrupto desde o primeiro homem.que.veio.de.Portugal!'
E eu direi: 'Não admito! Minha esperança é imortal, ouviram? Imortal!'
Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quiser, vai dar pra mudar o final!


4 comentários:

Luciane Fiuza disse...

Que lindo, palavras sábias e certeiras; espero que não se importe, pois vou colocar o post no meu blog.
Abs!

Lu

Xico Rocha disse...

Querida amiga Luciane, de jeito nenhum me importaria, devemos divulgar coisas desse tipo.
Abraços
Xico Rocha

Luciane Fiuza disse...

Já tá divulgado!!! E linkei vc no meu blog.

Abs!!!

Lu.

Flor disse...

Ana Carolina, assim como a Elisa - maravilha de mulher!
Na voz de Ana foi muito interessante ver este texto lido.
E toda vez que vejo o DVD e ouço as musicas e os textos penso na verdade, se a gente quiser mesmo, da pra mudar o final!